Em carne viva

14/10/2008

Estilo de restaurante, diz um amigo, é coisa pessoal. Uns preferem a intimidade que lembra a copa de casa, outros preferem a amplidão do supermercado.

Comparações mal feitas, claro. Mas servem para lembrar que existe um tipo de restaurante que, de tão grande, faz com que você se sinta meio perdido.

Quando eles são bons, a brigada impede que o cliente se desoriente. Quando são ruins, você se sente no vácuo.

Mas o que acontece quando o restaurante é historicamente ótimo e serve algumas das melhores carnes de São Paulo, mas a brigada muda tanto que ninguém mais reconhece o espaço?

É o que parece vir acontecendo no Baby Beef Rubaiyat.

Claro que a picanha summus continua linda. Macia. Saborosa. Ai.

Claro, também, que o bufê é de arrasar, inclusive pelos pescados.

Mas é ruim quando o couvert é mal servido, o serviço de pão só passa uma vez, o caldinho não chega nunca e o filé de tira (num pedido à la carte) perde muito de sua textura porque demora para chegar à mesa. É ruim.

Pior é quando a guarnição de legumes no forno de barro vem radicalmente sem tempero e sem gosto. Tudo agravado pelo serviço desatento.

Não, não pode ser assim num restaurante desse porte. Tanto que reclamamos e, dias depois, recebemos um telefonema gentil e um convite para retornar.

Voltamos e, com a cartinha de Don Belarmino na mão, tivemos atenção bem maior do serviço. Mas a picanha do bufê não estava à altura da fama. Nem de longe.

O que valeu a visita – veja que coisa! – não foi a carne vermelha. Foi o salmão defumado, foi o camarão-pitu. Foram os boquerones e a sardinha portuguesa. Quase pensamos que estávamos em outra casa da rede…

E o bufê de sobremesa, apesar de fartíssimo, não consegue empolgar. O Nemesis – esse desafio culinário – é inexpressivo. A tarte tatin, mole na base, decepciona. A crema catalana, comum.

Então, você se sente perdido em meio a algumas das melhores carnes de São Paulo.

Baby Beef Rubaiyat

Alameda Santos, 86, Paraíso, SP

tel. (11) 3170 5100

Como chegar lá (Guia 4 Cantos): Baby Beef Rubaiyat

2 Respostas to “Em carne viva”

  1. roberto23 Says:

    reclamei do maitre da al. santos, no site da casa, por se fazer de rogado para ir até a mesa, e chegando lá não sabendo explicar um nada – da programação para a harmonização de vinhos e pratos – então posteriormente fui ao rubayat da faria lima, almoçar com a carta do dono, e experimentei o que se poderia chamar a “praga de maitre”: porque mal terminei a salada e lá fui eu pegar dez minuto de vaso; dor de barriga das bravas, sendo que eu estava em jejum desde as 18 horas do dia anterior, portanto o estomago estava inteiramente vazio, e a comida era leve.

  2. alhos Says:

    Roberto,
    muito ruim seu episódio.
    É difícil entender o que está ocorrendo com as casas Rubaiyat. Creio que estejam em tempos de ajuste e tomara que resolvam logo os problemas.
    Abraços!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: