O convite do Jun

15/06/2009

Não me escondo, nem me revelo. Gosto desse relativo anonimato.

De um ano e pouco para cá, quando comecei a levar mais a sério essa história de blog de comidas, nunca mais reservei restaurante em meu nome.

Ou melhor, reservei, sim. Uma vez, ganancioso, para aproveitar um desconto de aniversário. E, outra vez, fizeram uma reserva em meu nome. Só soube depois e lamentei.

Fora isso, gosto – repito – desse relativo anonimato. Relativo porque soube que duas ou três vezes me associaram ao blog. Fazer o quê? Não fico bem com aquelas perucas da Ruth Reichl.

E gosto porque assim não corro o risco de ter algum privilégio – prática anti-republicana que os brasileiros adoram.

Sem contar que sou tímido e fico constrangido com freqüência inadequada para minha idade.

Por isso levei um susto quando tocou o telefone aqui em casa e me chamaram pelo nome. Depois soube como descobriram, e não houve nenhuma pirotecnia.

Era do restaurante Jun Sakamoto, que pedia desculpas pelo dia em que fomos e ele, não (vide Lost in Lisbon). E nos convidava para jantar.

Minha mulher e eu confabulamos, analisamos se devíamos ou não. Aceitamos.

Mas que fique claro desde aqui, leitor, que dessa vez não houve anonimato e pode ter havido algum privilégio. Só que, se houve, não percebi. Os demais clientes do balcão foram servidos identicamente a nós.

No dia certo, descemos do táxi e atravessamos a rua, meio ressabiados. A porta nos foi aberta e minha mulher e eu fomos tratados pelo nome. Mais estranheza.

Sentamos no balcão e, enquanto esperávamos a entrada do Jun, nos foi servido um meca com creme de mandioquinha e aspargos. Uma delícia, que combinou com o Veuve Cliquot que havíamos escolhido para acompanhar os sushis.

Então Jun entrou, cumprimentou os sete clientes que estavam à sua frente e empunhou uma das facas. Começou a fatiar os animais que estavam na vitrine, na ordem exata em que estavam posicionados. E eram maravilhosos.

A seqüência foi a seguinte: atum, toro, salmão (com limão siciliano), olho de boi, meca, robalo (com shissô), linguado (com limão japonês), pargo (com shissô), arenque (também com shissô), cavalinha marinada, lula (daquela arredondada, mais espessa, com sal negro do Havaí e limão), vieiras (com sal trufado), enguia (com tarê), camarõezinhos (com limão e sal), uni (com limão e sal) e ovas de salmão.

Ufa…

Movimentos obviamente exatos. Apresentação impecável dos dezesseis sushis. Coreografia precisa com o auxiliar que fazia a finalização. Poucas palavras. Apenas um esclarecimento sobre a lula e outro sobre o quadro com malaquitas na parede.

Sabores intensos, maravilhosos, às vezes incomparáveis. Meus favoritos foram o arenque, a cavalinha e a lula. Mas o que dizer do uni ou do toro, que se desfez na boca? E dos demais? Peixe, afinal, é peixe e, quando é bom, vira um sonho.

Jun saiu de cena e nos serviram ainda um tartare de atum com foie e ovas (muito bom, mas, infelizmente, não senti o foie) e um par de ostras (carnudas e com sapore di mare, como as boas ostras sabem ser e ter) num caldo de saquê. Para minha sorte, minha mulher não gosta de ostra e só comeu uma; logo, fiquei com três. Mas comeria mais três dúzias com tranqüilidade.

Para fechar, o sorvete de maçã verde com gelatina de saquê, que é das melhores sobremesas de São Paulo – inclusive pela simplicidade.

Na hora da conta, novo pedido de desculpas e a oferta do jantar. Pagamos apenas o champagne e o serviço. Correto, profissional, gentil.

Saímos para a rua certos de que às vezes podemos abrir do anonimato. Desde que isso fique claro para quem ler o blog.

E que Jun continua a ser o melhor sushiman de São Paulo. De longe.

Jun Sakamoto

Rua Lisboa, 55, Pinheiros, SP
tel.  11  3083 0510

Como chegar lá (Guia 4 Cantos): Jun Sakamoto

Anúncios

17 Respostas to “O convite do Jun”

  1. Joaquim Says:

    Não sou exatamente um fã de comida japonesa ,mas já tive experiências agradabilíssimas em alguns restaurantes e o do Jun foi um deles.Tem gente que não gosta dele,acha-o arrogante.Quando eu sentei no balcão e vi seu trabalho ,conclui que algumas pessoas confundem atitude com arrogância.Ele não está lá para fazer graça para ninguém e sim,para trabalhar,é o que ele faz.Li recentemente uma declaração do Benny ,que diz que fundamentalmente cozinha é concentração e concordo 100% com ele.Jun me passa essa impressão ,é um cara concentrado ,que sabe o que está fazendo.Taí Alhos,vc. me deu uma grande idéia.

  2. eduluz Says:

    Espetáculo!
    E parabéns ao Jun Sakamoto pela atitude!
    Agora ele tem que tomar cuidado pois se a diferença é tào grande estando ele ou não no restaurante, seria aconselhável não abrir quando ele estiver impossibilitado de ir já que, pelo que eu saiba, o preço é o mesmo !!
    E até acompanhante em viagens ao Japào ele é !
    Abs.

  3. tadzio Says:

    lindo…quase poesia : P
    e eu não gosto de poesia.

  4. paolanp27 Says:

    Super profissional e gentil o Jun.

    Não é à toa q seu restaurante é um sucesso.

  5. Ricardo Reno Says:

    Olá Comilão,

    Achei correto você aceitar, afinal fez uma crítica e tinha toda razão no episódio. O melhor na verdade foi a força que este blog já adquiriu e o fato comprova isto. Por isto gosto cada vez mais dos blogs como meios de informação divulgação e pressão para melhorar as coisas. Estou ensaiando para fazer o meu, quem sabe.

    Vou quarta-feira, 24, a SP se quiser podemos marcar o almoço.

    Abraços


  6. Alhos,
    eu não sei quem você é, embora tenha cá minha estratégia para descobrir, caso necessite. Mas o fato é que faremos, lá no ciclo de debates na Livraria Cultura, um encontro de blogueiros da alimentação e gostaria muito de contar com você. Nada porém impede que vá mascarado, como um Fantomas da alimentação.
    Abraços

  7. alhos Says:

    Joaquim,
    vá ao Jun, sim. E talvez para mudar sua relativa rejeição à comida japonesa, sugiro que conheça o Kinoshita. Também vale a pena.
    Abraços!

    Eduluz,
    nunca comi no balcão sem o Jun. Já comi nas mesas e foi excelente.
    No dia em fomos e ele, não, decidimos não ficar. Mas não tenho dúvida de que seu substituto poderia preparar um bom jantar. É que achamos a surpresa desagradável e queríamos… o Jun.
    Abraços!

    Tadzio,
    obrigado. Mas poesia é tudo…
    Abraços!

    Paola,
    acho que o respeito ao cliente, que por algum motivo razoável) saiu insatisfeito, é mesmo essencial na vida de um restaurante.
    Abraços!

    Ricardo,
    também gosto de ler blogs. Mas não sei se o convite, no caso, teve a ver com ele. Gostaria, na verdade, que não, mas não tenho como descobrir.
    Uma pena: às quartas estou sempre enroladíssimo. Teremos de esperar a próxima.
    Abraços!

    Carlos,
    obrigado pelo convite. Fico lisonjeado com ele.
    Vou lhe escrever diretamente.
    Mas não sei, não. Até porque sou moço tímido.
    Em todo caso, vou afofar minha peruca encaracolada e tirar do armário a fantasia do último carnaval.
    Abraços!

  8. Joaquim Says:

    Alhos ,o Kinoshita já está devidamente reservado para o dia 23,foi uma indicação do Castanho ,editor da 4rodas e do blog “direto do forno” ,que acha que ele abalou o império do Jun.Como vc. compara os dois restaurantes?

  9. alhos Says:

    Joaquim,
    Kinoshita e Jun são diferentes e acho um pouco difícil compará-los.
    O Jun se concentra – na parte de balcão, onde o preparo é feito por ele mesmo – nos sushis. E acho que, nesse terreno, é o melhor.
    Murakami é um chef com propostas inovadoras e seu forte é exatamente essa inventividade e a capacidade de mostrar uma nova gastronomia japonesa, que nos é, em grande medida, desconhecida.
    Por isso, o melhor é mesmo ir aos dois…
    Abraços!

  10. Julinho Says:

    Alhos e Joaquim,
    Ainda não conheço o restaurante do Jun. Falha que pretendo corrigir em breve.
    Quanto ao Kinoshita, se o Chefe Murakami estiver em um bom dia, a comida é inesquecível de tão boa. Se ele estiver em um bom dia, pois sua equipe é irregular e inexperiente.
    Agora, voltando aos sushis, vocês conhecem o Hamatyo e o Shin-Zushi?
    Abraços!

  11. alhos Says:

    Julinho,
    tudo bem?
    Tomare que goste do Jun.
    Meu desconforto com o Kinoshita é exatamente esse: uma certa irregularidade (inclusive no serviço).
    Gosto do Hamatyo (aonde não vou faz tempo) e do Shin-Zushi, que deve ter um fornecedor que entrega duas vezes por dia diretamente do Japão. É difícil encontrar peixes mais variados e frescos do que lá.
    Abraços!

  12. Julinho Says:

    Alhos,
    Realmente o frescor do peixe do Shin-Zushi é incrível!
    Quanto ao Kinoshita, fui lá algumas vezes e já tive todo o tipo de comida e serviço.
    Mas em minha última visita até o sushi (que, em um bom dia, para mim, é o melhor, pois arroz tão bom nunca provei) estava terrível. Fui embora muito chateado e um tanto mais pobre.
    Por isso que, sobrando uma verba, em vez de voltar ao Kinoshita, conhecerei o Jun ou voltarei ao Shin-Zushi, que além de um sushi espetacular e sempre bom, tem uma cozinha quente ímpar.
    Falo isso com dor no coração, pois adoro o meu amigo Murakami.
    Abraços!

  13. alhos Says:

    Pois é, Julinho.
    O problema de todos eles (um pouco menos do Shin-Zushi) é este: precisa sobrar uma verba…
    Abraços!

  14. MDV Says:

    Alhos, tentei me cadastrar para receber o aviso do seu post mas não rolou; eu cliquei no end e não aconteceu nada, abs

  15. alhos Says:

    MDV,
    tudo bem?
    Não entendi. Que cadastramento?
    Abraços!

  16. MDV Says:

    Aquela opção de notificar via e-mail seus comentários mais recentes, que fica em baixo de quem vai comentar seus posts!

  17. alhos Says:

    MDV,
    puxa, nunca tinha reparado. Tentei descobrir como funciona e não descobri…
    Abraços!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: