Cardápio incompleto

09/06/2010

 

Na quarta-feira passada, minha filha fez onze anos. Trocamos a festa por um passeio; então, só restou um jantar aqui em casa, com os avós e duas amigas.

No lugar do bolo, ela quis seu doce preferido na versão favorita: o Mogador da Douce France, que é, na prática, uma combinação de pão-de-ló, mousse de chocolate e geleia de framboesa.

Três dias antes, domingo, fui até lá e fiz a encomenda, para dez pessoas, pagamento antecipado (109 reais). Doce caro, claro, mas que valeria a alegria da filha e o prazer da boa pâtisserie.

E às 18h45 da quarta o retirei, levei para casa e deixei na geladeira até as 21h30, final do jantar, quando cantamos parabéns e o cortamos.

Surpresa: mousse congelada, pão-de-ló ressecado, geleia gosmenta.

Minha mulher e eu nos entreolhamos; minha filha deixou mais da metade da fatia no prato; os convidados, elegantes, comeram até o fim o que lhes fora servido.

Dia seguinte, fomos passear e chegamos tarde em casa. Na sexta de manhã minha mulher ligou para a Douce France e falou com Odilon, o gerente.

Desconfiado, ele argumentou ser impossível que o doce estivesse nesse estado. Lembramos a ele que somos clientes desde a abertura da loja (morávamos praticamente do lado), que minha filha ia lá ainda bebê, que acompanhamos a gravidez da mulher do pâtissier…

O gerente então nos assegurou que verificaria com o chef o que podia ter acontecido e daria uma resposta no dia seguinte, sábado.

E assim passaram os dias até ontem, terça, quando minha mulher voltou a telefonar. Soube que o gerente não podia atendê-la e, por isso, deixou-lhe um recado, pedindo retorno.

Esvaiu-se a terça inteira e quase toda a manhã da quarta sem notícias. Foi quando cheguei à conclusão de que atenção ao cliente não era prioridade da Douce France e decidi relatar o episódio no blog — arcando com mais um custo, o da exposição de quem prefere ser anônimo. É que com aniversário de filha não se brinca.

Agora resta tristeza, sensação de desrespeito, desatenção. Desconsolo diante de uma casa que já foi boa, tornou-se irregular e chega agora, perante nós, a tal desfecho.

Disse uma vez e repito: blog não é instrumento de vingança. E tampouco é vingança o que quero. Na verdade, ao reclamarmos com o gerente, nem mesmo pretendíamos compensação financeira ou reposição.

Queríamos só alertar para o erro, desabafar, receber atenção e um pedido de desculpas. Mas este, ao que parece, não consta do cardápio da Douce France.


Anúncios

24 Respostas to “Cardápio incompleto”

  1. Helena Gasparetto Says:

    ALhos. Engrosso seu côro… Pessoalmente já parabenizei o Fabrice Lenud numa festa de premiação da GULA, inclusive torcendo por ele. Mas sou cliente da loja do Morumbi Shopping da Douce France. E apesar dos folhados serem muito bons (não diria ótimos), e ter já levado um sem números de amigos de fora, notei há mais de ano que eles diminuiram o recheio e o folhado anda mole, por ficar tempo na vitrine. Todas as vezes que pedi para monta rum na hora, as atendentes se recusam… Muito chato isso. COmo doceira há 35 anos, e tendo dado minhas voltinhas pelas confeitarias do mundo, só tenho a lamentar…

    E quando vc tuitou sobre o bolo de sua filha, eu imaginei que era dessa confeitaria que vc se referia.

    Beijos
    Helena

    P.S – As delicadas éclairs de café, ´que consumo todas as vezes que lá vou, já estão com sabor quase imperceptível… pena

  2. alhos Says:

    Helena,
    obrigado.
    Foi muito chato.
    O mil folhas, quando montado na hora, é muito bom mesmo (embora o recheio tenha diminuído, sim). Aqui na loja da Jaú dá para perceber quando estão montando e pedir.
    Agora, seus doces… Ai, ai.
    Beijos!

  3. eliane (twitter.com@elii_sa) Says:

    A frustração gastronômica é uma das piores coisas que podem acontecer, especialmente em datas especiais e principalmente quando não nos arriscamos… Datas especiais não deveriam ser lembradas assim. Da categoria “coisas que acontencem, mas não deveriam acontecer”. Lamentável!

  4. alhos Says:

    Eliane,
    tudo bem?
    Pois é… Felizmente nosso estoque de boas lembranças ainda é amplo! rs
    Abraços!

  5. Fernando Says:

    Alhos, uma pena o que aconteceu. Mas não vou aumentar o número de críticas a casa, uma vez que a sua é definitiva, não precisa de coro. Gostei muito da sua colocação a respeito do papel do blog, de não ser instrumento. Seja de vingança, de recalque, de inveja. E sim uma fonte de informação. Seu histórico de textos fala por si, e é uma pena que muitos blogueiros não pensem assim. Vida longa ao Alhos!!

  6. Helena Gasparetto Says:

    ALhos,

    Um elogio seu é um presente! Obrigada!
    E mantenho cada palavra de meu comentário : )

  7. larissa Says:

    Muito elegante o modo como reclamou. Aliás, acompanho a tese de que cliente bom é o que reclama. Tenho certeza de que isso servirá de aprendizado.

  8. jb Says:

    seo alhos,

    tudo bem?

    em minha opinião, a douce france, que nunca foi excelente, vem em queda livre há algum tempo.

    mas o que chateia mais nessa história é a falta de consideração da equipe da loja pelo cliente.

    sinto muito. e isso é sério. sem ironia. fiquei maior triste lendo o texto e imaginando toda a situação constrangedora.

    abração e um futuro repleto de bolos gostosos para todos nós!

  9. ´Roberta Malta Says:

    Aconteceu comigo no meu aniversário, só que em outra casa de doces. E, pior que o silêncio, recebi agressividade ao invés de desculpas. Triste e feio isso.

  10. alhos Says:

    Fernando,
    obrigado.
    Acho muito delicado, perigoso, usar o blog para reclamações.
    Abraços!

    Helena,
    são merecidos, merecidos.
    Beijos!

    Larissa,
    obrigado. Quando necessário, reclamar é importante, mas tem que tem cuidado, não é?
    Abraços!

    Julio,
    tudo bem?
    Já comi doces e sorvetes muito bons na Douce France, mas acho que houve um declínio, sim.
    Sim, bolos (no bom sentido) gostosos para todos nós!
    Abraços!

    Roberta,
    tudo bem?
    Muito feio, não é?
    E bobo. Basta reconhecer o erro e evitar cometê-lo de novo.
    Abraços!

  11. eduluz Says:

    Lamentável.
    Nunca fui entusiastra de lá. Comi alguns Millefeuilles razóaveis, não mais do que isto.
    Pergunta: aposto que o bolo nao foi o que poderíamos chamar de barato, né não?
    Abs.

  12. alhos Says:

    Edu,
    tudo bem?
    O preço está no post: 109.
    Abraços!

  13. Ricardo Reno Says:

    Olá Comilão, tudo bem?

    Muito chato mesmo o que aconteceu. Na minha opinião o atendimento no Douce France nunca foi condizente com a qualidade dos produtos. Uma pena que agora os doces estejam seguindo o mesmo caminho. Principalmente num setor que ainda tem muito o que crescer e evoluir.

    Abraços

  14. alhos Says:

    Ricardo,
    tudo bem?
    É verdade. Creio que, ao menos em parte, a responsabilidade pelo atendimento ruim vem da escassez e do rodízio de funcionários. As moças são atenciosas, mas poucas. E mudam a toda hora.
    E também é verdade: a doçaria ainda está muito atrás do nível que nossos restaurantes atingiram.
    Abraços!

  15. raphael civille Says:

    alho,

    moro no tatuapé, e a uns 6 meses fiz minha primeira compra na douce france, comprei uns 10 doces porção individual e devo ter gasto uns 100 reais tb, os doces estavam muito bons quanto ao sabor, mas nenhum com o aspecto das fotos do site da casa … o doce que tem a massa base salgada foi a grande surpresa de paladar pra mim, e o que mais gostei, ogaden acho que era o nome

    a pergunta é, qual a opcao a douce france ?

    ah! as meninas da loja queriam que eu levasse os docinhos numas cestinhas de papel, dariam 2 cestinhas pelo que me lembro … ai eu pedi se poderia ser no isopor, mas a menina disse que era só pra bolos, regulando o tal isoporzinho, e entao eu tive que explicar que eu nao morava perto e se ela poderia fazer essa gentileza bla bla bla, meio chato o episodio, só pra ficar registrado tb

    parabens pelo blog, nao conhecia !

    ps.:
    vc é português ? é que vc disse doçaria e achei que poderia ser 😉

  16. alhos Says:

    Raphael,
    tudo bem?
    Não sou português, mas gosto da palavra doçaria…
    Bem superior à Douce France, atualmente, é a Sódoces, em Moema.
    E gosto de alguns doces de alguns restaurantes – a tarte tatin, do Chef Rouge, por exemplo.
    Abraços!

  17. Paulo Kotzent Says:

    Olá Alhos,
    queria manifestar-me em relação à crítica do post.
    Gostei da forma que escreveu, achei honesta, no mínimo. Gosto muito da maneira que escreve e do tom de seus elogios e críticas também. Acho que ter um blog tão bacana, tão “bem lido” é uma grande responsabilidade e não caberia aqui, assim como a nenhum outro blog similar, “descer a lenha” na doceria, mesmo estando com a razão, como você está!
    Fino, elegante e sensato. Você expôs a situação, coberto de razão, mas em momento nenhum foi grosseiro, nem permitiu que seus leitores o fossem, em seus comentários.
    Leio sempre!
    Um abraço,
    Paulo

  18. alhos Says:

    Paulo,
    obrigado pelos comentários e, sobretudo, pela leitura.
    A ideia é manter a lucidez e o espaço de conversa. Se isso se perder, todos perdemos.
    Abraços!

  19. Semiramis Says:

    Que triste acontecer isso, ainda mais em uma data especial para a família. Obrigada pelas informações, quando passar a frente do Douce France, lembrarei das suas palavras.

  20. alhos Says:

    Semiramis,
    tudo bem?
    Uma pena mesmo.
    Mas, em outras ocasiões, já comi bons doces lá. Vale a pena provar.
    Abraços!

  21. MArcelo Says:

    Percebi também que a Douce France já foi melhor… Gostava muito dos chocolates sabor jasmim, mas nas últimas vezes não encontrei na loja… e concordo em relação à Sódoces. Alguma outra sugestão de “doçaria”?
    Abs

  22. alhos Says:

    Marcelo,
    tudo bem?
    Infelizmente não… Se descobrir, por favor, me avise.
    Gosto muito de alguns doces de restaurante, como os pain perdu do AK e do Ici, a tarte tatin do Chef Rouge, o sorvete de maçã verde do Jun, o pudim de leite do Sinhá e, óbvio, o tiramisù do Fasano. Mas não me lembro de outras doçarias marcantes.
    Abraços!

  23. jb Says:

    opa!

    obrigadíssimo pela citação!

    e, se me permite o atrevimento, gostaria de acrescentar à lista de sobremesas de restaurante a divina josephine do arturito, de paola carosella.

  24. alhos Says:

    Julio,
    citação merecida. E tem também o tiramisù de rapadura.
    E totalmente de acordo em relação aos doces do Arturito. De preferência, as profiteroles.
    Abraços!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: