Um jantar sensacional

11/06/2011

Certas vezes fazemos boas refeições. Outras vezes, elas são apenas razoáveis. Há aqueles casos em que tudo dá errado. E ocasiões, menos comuns, quando o almoço ou jantar é ótimo.

Quem come fora com alguma regularidade sabe de tudo isso.

E sabe ainda que um jantar sensacional é raro, raríssimo.

Quinta à noite, saí do restaurante com a sensação de ter tido meu melhor jantar do ano.

Depois, em casa, relembrei passo a passo a degustação que fizera. Pesei os fatos, calibrei as lembranças, concluí: fora de fato meu melhor jantar do ano.

Só que havia algo mais: fora uma das cinco melhores refeições — em restaurante, claro — da minha vida.

As outras quatro? Jantar no Roanne, em 2000 ou 2001. Jantar no Marcel (junho de 2008). Almoço no Le Bernardin (janeiro de 2009). Jantar no Pré-Catelan (julho de 2010).

E quinta passada, dia 9 de junho de 2011. Jantar em La Brasserie de Erick Jacquin.

A descrição dos pratos segue abaixo, mas é quase desnecessária.

Importa que aconteceu tudo que devia acontecer naquela noite: demonstração de técnica perfeita, precisão no ritmo e no equilíbrio dos pratos, emprego de ingredientes excelentes, variação de texturas e de aromas.

Sobretudo: sabor. Sabor. Sabor!

Em tempos de tamanha afetação no mundo das comidas, essa palavra resume. Tanto melhor que veio no plural. Sabores.

Pode ser ruim pensar quão improvável é que tão cedo ocorra outro jantar assim.

Mas a memória deste não se perderá tão cedo.

A sequência

(sete pratos, 250 justíssimos reais)

Mousse de foie gras e beterraba sobre cacau moído: delicado, forte, convincente. O cacau ao fundo, de textura terrosa, contrastava deliciosamente com o foie e o completava.

Terrine de foie gras, gema e pupunha ralado sobre brioche tostado: para comer tudo num só bocado

Ovo mexido com caviar beluga (servido na casca do próprio ovo): sem comentários, nos esforçamos para não pedir mais uma dúzia…

Vieira grelhada sobre creme azedo, com fundo de alcachofra, gengibre ralado e caviar beluga: a descrição pode sugerir elementos demais, alguma incompatibilidade. Mas lhes peço que acreditem que tudo se ajusta com precisão e o resultado… Bom, dessa vez não resistimos: minha mulher chamou o maître e disse que queria mais vieiras, muitas mais, incontáveis mais.

Robalo com ragu de favas e espuma chardonnay: embora a espuma manifeste mais seu sabor quando separada do resto, ela acrescenta algo ao robalo perfeito e às favas incríveis.

Sorvete de caipirinha regado com cachaça: caipirinha e cachaça não estão no rol das minhas cinquenta ou cem bebidas favoritas (pois é, não sou brasileiro). Aqui se tratava de uma rápida limpeza do paladar. E estava ótimo.

Paleta de cordeiro com lentilha de Puy: o cordeiro estava bem mais passado do que normalmente prefiro. Mas estava excelente. E as lentilhas, ah, as lentilhas…

Sobremesas: um capítulo à parte. Sobre a mesa, sete (sim, sete) doces de tamanho normal. Já estávamos satisfeitos e era um óbvio exagero comer tudo. Mas não podíamos decepcionar. Sim, comemos todas integralmente. As melhores, para nosso gosto, foram o mil folhas, os ovos nevados e o duo de sorvetes (pistache e chocolate). Mas as demais estavam muito boas: crème brûlée, petit gâteau com sorvete de baunilha, sanduíche de frutas e macaron com frutas vermelhas.

La Brasserie de Erick Jacquin

Rua Bahia, 683, Higienópolis, São Paulo

tel.  11 3826 5409

22 Respostas to “Um jantar sensacional”

  1. Renato Says:

    Alhos,

    comemorei um aniversário de casamento lá e é realmente espetacular. É a prova que ser caro não significa custar muito, mas, sim, não proporcionar um benefício compatível com o custo. Isto posto, o Brasserie é barato.

    Abs!

  2. didaborges Says:

    entendo perfeitamente a raridade da ocasião! a gente sai da mesa com a vontade de retroceder ao momento em que entrou no restaurante, para re-viver a experiência, idêntica, novamente, em seus mínimos detalhes, ad eternum, né? rs… há também aquela melancolia de pensarmos “quando, meu deus, vou repetir esse êxito, em outro restaurante”? oh, a dúvida angustiante, que nos faz voltar pra casa preenchidos não só pela refeição primorosa que acabamos de ter, mas como também pelo “irrespondível” sofisma-tostínico, que nos assombrará pra sempre: por que tão bom, se tão raro? e por que tão raro, se tão bom?😉
    na torcida por mais dessa sorte, me despeço, solidária. (ps: sou leitora assídua, mas comentarista tímida! estou sempre por aqui, mas dessa vez foi irresistível comentar.)

  3. alhos Says:

    Renato,
    tudo bem?
    Sim, a relação custo/benefício independe do preço, que, por lá, é alto. Mas uma degustação que inclui foie e ovas de beluga duas vezes transforma o valor pago em ingredientes de boa qualidade. For todo o resto.
    Abraços!

    Dida,
    obrigado pelo comentário. E não se preocupe: de vez em quando o sistema apronta algumas confusões.
    Comente sempre que quiser. Timidez é permitida nesse espaço. rs
    Abraços!

  4. Henrique Says:

    Alhos,

    que delícia essa sua descrição, e que legal vc compartilhar com tanto entusiasmo suas sensações nesse jantar.

    Almocei na Brasserie em novembro e, embora tenha sido mais simples, apenas uma entrada e um prato, foi excelente também.

    Me deu vontade de retornar!
    abs

  5. alhos Says:

    Henrique,
    tudo bem?
    Apesar de caro, é ótimo.
    Abraços!

  6. Benny Says:

    Jacquin, na minha opinião, o melhor Chef Frances que temos por aqui,alem de ser um otimo amigo.

  7. Ricardo Oliveira Says:

    Alhos,

    Tem crítico que não enxerga um palmo a frente e “desdenha” do la Brasserie…Assino tudo que escreveu, muita técnica , frescor e digo que nenhum restaurante especializado em peixe, prepara o dito, melhor que eles.

    Abraço

  8. alhos Says:

    Benny,
    finalmente comprovei como é bom o trabalho dele.
    Abraços!

    Ricardo,
    tudo bem?
    De fato, o preparo de peixes e demais bichos marinhos da Brasserie tem poucos equivalentes em São Paulo.
    Abraços!


  9. Olá, tem algum e-mail para contato?

  10. Aristoteles Says:

    Estive no restaurante ano passado e tive uma refeição excelente. Uma carne servida com tutano foi um dos melhores pratos que já experimentei.


  11. Alcançar a essência dos sabores é entrar em sintonia com lembranças guardadas em arquivos que criamos para preservar nossas memórias mais tenras. Acredito que é essa sensação que buscamos sempre… E como é bom quando a gente encontra, né? Abraços, Adriana.

  12. eduluz Says:

    Taí uma lacuna (estomacal e emocional) a ser preenchida.
    Quanto ao saudoso Roanne, também está na minha lista.
    Sabe que é um bom mote as tais 5 melhores refeições?
    Abs

  13. Fabio T Says:

    Que delicia!
    Deu vontade de ir la agora.
    Comi uma degustacao lah num almoco logo que abriu, mas era em menor versao, mas adorei. Depois fui outras vezes, mas pedi do cardapio.
    Preciso voltar.
    Abcs,
    Fabio

  14. alhos Says:

    Breno,
    tudo bem?
    Pode escrever para alhospassas@uol.com.br
    Abraços!

    Aristóteles,
    é uma beleza quando a refeição se torna memorável.
    Abraços!

    Adriana,
    sintonia, sinfonia, lembranças, completude. É isso.
    Abraços!

    Edu,
    tudo bem?
    Sugiro a degustação. Já havia ido algumas vezes à Brasserie, sempre comi bem, mas nunca foi a maravilha que a degustação ofereceu.
    É bom fazer esses balanços. Só lamento muito que não tenha feito qualquer anotação desse jantar no Roanne. Uma pena.
    Abraços!

    Fabio,
    como falei ao Edu, logo acima, sugiro a degustação. É cara, mas vale – inclusive financeiramente, se comparada aos itens individuais do cardápio. E quanto maior melhor. rs
    Abraços!

  15. Marco A. Cunha Says:

    Bom dia a todos.
    Sábado passado fui ao Sinhá, preço justo, qualidade da comida boa, porém algumas coisas deixaram a desejar. Um restaurante que prima por comida da fazenda, não pode servir linguiça Aurora, concordam ?
    Outra coisa, o famosos torresminho e sua amiga costelinha ficaram ausentes por 25 minutos. Entendo ser um tempo excessivo para se repor o bufê.
    A qualidade do que é servido continua 100%. Sejamos justos. Bife ancho sensacional. Tomate com gema de ovo que não tive coragem de comer, embora estivesse apetitoso. A coisa estava meio complicada nesse dia. Não sei um garçom ou comensal deixou cair um copo e o mesmo quebrou. Os atendentes passavam e davam uma chutadinha para o lado. Já inventaram a vassoura.
    Fora isso, atendimento impecável, qualidade 100%.
    Não estou desmerecendo o local, apenas constatando alguns fatos.
    Abraços a todos.

  16. alhos Says:

    Marco,
    tudo bem?
    Uma pena que tenham acontecido esses problemas que, provavelmente, entorpeceram um pouco a satisfação com a boa comida e os preços justos.
    Abraços!

  17. jb Says:

    marco,

    me permita um pequena ressalva…

    a proposta do sinhá é servir uma comida trivial e bem feita, não “comida da fazenda”.

    no mais, sinto muitíssimo pelos incidentes desagradáveis que ocorreram contigo no último sábado.

    tomarei providências devidas e necessárias para que esses problemas não voltem a acontecer.

    e agradeço pela crítica, pois assim tenho como fazer as devidas correções.

    abraço!

  18. alhos Says:

    Júlio,
    obrigado pela resposta.
    Abraços!

  19. eaicasal Says:

    Deu muita fome, fome não pura gula! pois nem é preciso fome para ter vontade de desfrutar de excelentes pratos.
    em minha viagem para amsterdam encontrei um restaurante o temple Dudle que serve um rijstaffle, é como se fosse uma degustação e é um deleite para todos os sentidos. se vocês quiserem compratilhar desta experiencia e de muitas outras acessem http://www.eaicasal.com.br e adicionem sabor em sua vida a dois

  20. alhos Says:

    Ealcasal,
    muito obrigado pelas dicas de lugar e leitura.
    Abraços!

  21. Fábio Says:

    alhos,
    tive a oportunidade de saborear o menu do erick recentemente e também achei soberbo. Um dos melhores menus provados nos últimos tempos.
    tudo excelente, com exceção do macaron com geléia de frutas vermelhas, que estava com a massa meio congelada.
    só para constatar que faz bem comer bem!

    abs!

  22. alhos Says:

    Que bom, Fábio.
    Faz muito bem comer bem. rs
    Abraços!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: