Almoço executivo

11/08/2011

 

 

Tenho que reconhecer: a sugestão indireta desse texto veio de um amigo — iniciais A.B. Obrigado!

Um belo dia, em meio a conversações tuiteiras, ele arrematou: ‘Quer conhecer a cozinha do restaurante sem pagar muito? Coma o almoço executivo.’

Na hora em que li não tive propriamente a ideia de fazer uma ronda de almoços executivos. Poucas semanas depois, no entanto, os acasos da sorte me levaram a ela.

Não sei bem a quantos restaurantes fui. Muitos. Algumas anotações perdi, outras preferiria ter perdido.

Ao final de tantos almoços, concluí que A.B. tinha razão. Quase sempre é possível ter uma boa noção do trabalho feito na casa a partir do exemplo que o almoço executivo dá. Mais: dá para perceber com facilidade que restaurantes de fato o valorizam e quais o depreciam.

É mais ou menos óbvio que alguém que opta por um almoço executivo não pretende demorar muito, nem gastar demais. Também é óbvio que, para o restaurante, o almoço executivo pode ser uma forma de atrair novos clientes, expor a qualidade do próprio trabalho ou apenas um recurso ágil para aumentar seus ganhos.

Por tudo isso, a questão dos preços é séria. Para não ter surpresa na hora da conta e pagar quase o dobro do que pretendia, o comensal deve ficar atento a alguns detalhes.

O couvert, por exemplo. Ele está incluído no preço? Se a informação não constar do cardápio, pergunte. Raros garçons têm o bom hábito de informar voluntariamente. Se não for parte do cardápio executivo, a sugestão é simples: recuse. Mesmo quando bons, aqueles pãezinhos podem representar um acréscimo significativo na conta.

E as bebidas? Num almoço que custa trinta e poucos reais, faz sentido pagar quase dez por uma cerveja ou oito por um suco? Parece-me que não, mas a decisão, sempre, é do cliente. Importante é que ele saiba o quanto está pagando por aquela bebida aparentemente inocente e que fique atento porque, em algumas casas, os garçons esvaziam rapidamente as garrafas de água e trazem logo outras para a mesa.

As anotações abaixo se referem a cinco exemplos típicos. Eles estão em ordem alfabética. Um é sensacional, outro é bastante bom e generoso. E três deles não deixaram saudade.

Por fim, duas observações. Os preços indicados correspondem ao gasto de duas pessoas. Todas as refeições foram acompanhadas com água.

 

 

* O almoço executivo do Antiquarius ilustra bem o estilo da comida da casa.

Abriu com um couvert simplificado, agradável e incluído no preço.

Entre as opções de entrada, ficamos com a cremosíssima (e pesadíssima) tigelinha de bacalhau. Um erro.

Dos principais, arroz de polvo e arroz de pato. Porções grandes e, sobretudo, pesadas. Difícil ultrapassar a metade de ambos.

De sobremesa, um dos doces da casa — a maioria é de origem conventual e com presença marcante de açúcar.

Conta: 168

 

* O almoço executivo do Arturito decepcionou.

Um agradável couvert — pães quentinhos e azeite com azeitonas, alecrim, pimenta e parmesão — deu a boa largada. Só depois soubemos que era cobrado à parte.

Depois, a salada de verdes, feitos na lenha, trouxe ótima abóbora. O prato, porém, era minúsculo.

Os principais desafinaram totalmente: a barriga de porco braseada estava irregular: um lado macio, o outro extremamente rijo. O frango no forno a lenha era insosso, o alecrim prevalecia claramente e encobria os demais sabores.

De sobremesa, bom crepe brûlé com toque de laranja, recheado de doce de leite queimado e muito (muito!) doce, acompanhado de chantilly.

Conta: 130

 

* O almoço executivo do Boa também ficou aquém do que esperávamos.

O creme de inhame e castanha do Pará estava insosso.

A outra entrada — cuscuz marroquino com manga, pimenta rosa, redução de vinho e raspas de limão — era interessante, mas o limão se impunha de forma contundente aos demais sabores.

A mesma falta de gosto do creme de inhame se manifestou nos dois pratos principais: grão de bico com calabresa, lentilhas, costelinha defumada e aioli; wok de peixe, gengibre e leite de coco. Por escrito, ambos os pratos prometiam sabores intensos. Na prática, eram inexpressivos.

As sobremesas não mudaram o rumo da refeição. Banana assada correta com calda de chocolate, laranja com espuma de chá.

Conta: 88

 

* Se algum almoço executivo merece ser celebrado pela combinação entre alta qualidade e grande quantidade é o do Dalva & Dito.

Começou com uma agradável salada de folhas verdes, tomate, cenoura e palmito.

Em seguida, foram dispostos potinhos de acompanhamentos: arroz branco, feijões (roxinho e preto), couve, farofa, batatas.

E chegaram quatro carnes: galeto, mignon, pernil e costelinha de porco.

A princípio, achamos que devíamos escolher uma delas. Não. As quatro vêm sempre à mesa — se você quiser (e conseguir).

Curiosamente a melhor delas era o mignon. Todas, no entanto, estavam bem preparadas e foi necessário, óbvio, recusar parte do que esperavam que comêssemos.

Conta: 140

 

* O almoço executivo do Epice… Ah, o almoço executivo do Epice.

O couvert, incluído no preço, traz ótimos pães, manteiga, azeite e sal. Também a água, ressalte-se, não é cobrada à parte — nem tem aquele gosto forte de cloro de algumas águas oferecidas gratuitamente por restaurantes.

Entradas, principais e sobremesas ofereceram um painel preciso da proposta da casa e da inventividade do chef.

Começamos com salmão curado com aspargos e salada verde e mexilhão com salada de beterraba e agrião.

Prosseguimos com o pargo acompanhado de purê de limão, alho porró e cuscuz marroquino e com a barriga de porco com purê de batata e cenoura.

As sobremesas: morango com sorbet de morango e creme inglês e

sorbet de pêra.

Impossível destacar qualquer um dos pratos. Todos estavam excelentes. De longe, o melhor executivo que provamos. De longe.

Conta: 93

 

13 Respostas to “Almoço executivo”

  1. Claudio Adas Says:

    Estive recentemente no Epice no almoço e saí com a mesma ótima impressão. Impecável sob todos os aspectos. Muito benvinda esta idéia, que tenho visto em outros blogs de comida também, de avaliar/comentar os almoços executivos oferecidos pelos restaurantes de SP.

  2. Rafael Says:

    Muito bom o post. Vou aproveitar as sugestões, certamente.


  3. Caramba, cavalheiro!

    Obrigado pela citação e pelo reconhecimento.🙂

    Abraços!

  4. Fabio T Says:

    Estive no Epice, mas num almoco de sabado. Adorei! Comemos o prato de charcuterie e as vieiras de entrada, meu companheiro ficou fascinado com a barriga de porco e eu devorei a paleta. Quero voltar para provar o foie gras; tambem achei muito simpatico a agua ser parte do couvert, que tambem foi uma grata surpresa. Fiquei tentado pelo almo executivo, que um dos atenciosos garcons me mostrou para ter exemplos do que eles servem. Espero que o lugar pegue!
    Eu acrescentaria o D.O.M como um local bom para aproveitar precos mais interessantes. Tem o PF com arroz, 2 tipos de feijao, couve, batatinha e farofa; na ultima vez que eu fui, em abril, comi o saint-pierre como grelhado, mas parece que infeloizmente mudaram para a tilapia, que eu detesto.
    Abc,
    Fabio

  5. alhos Says:

    Claudio,
    tudo bem?
    Uma honra ter comentário seu por aqui.
    O Epice no almoço é mesmo ótimo.
    Abraços!

    Rafael,
    obrigado!
    Abraços!

    Bronza,
    ah, identificou de quem são as iniciais A.B.? rs
    Eu que agradeço, cavalheiro.
    Abraços!

    Fabio,
    tudo bem?
    Acho meio caro o executivo do DOM. Mas ótimo, sem dúvida.
    Abraços!

  6. Luciana Betenson Says:

    Muito boa a ideia do post, e muito úteis as informações. O Epice é de longe um dos melhores restaurantes de São Paulo da atualidade. Abraços,

  7. mdv Says:

    Alhos, que tal vc dar uma checada no executivo do Lorena 1989, que é pertinho? É barato (20 reais), e, se seguir o padrão da casa, pode valer muito a pena, abr~ção M


  8. Eu ia falar do executivo do DOM, mas já citaram. Um lugar com almoço muito bom é o Lorena 1989, cujo executivo custa módicos
    R$ 19,89…O Arábia tb está com um menu executivo bastante abrangente, um pouco mais caro mas que sai quase metade do preço normal.Forte abraço.

  9. alhos Says:

    Luciana,
    tudo bem?
    Obrigado!
    Acho que o Epice caminha para isso. Torço muito.
    Abraços!

    Mdv,
    tudo bem?
    Minha (única) experiência não me anima a voltar tão cedo. Mas uma hora dessas irei.
    Abraços!

    Wair,
    tudo bem?
    Pois é, o Arábia…
    Preciso passar um bom tempo sem ir lá até esquecer a tragédia da última visita. Mas irei.
    Abraços!

  10. Eduardo Says:

    Sou de Salvador e semana que vem será a minha primeira visita à SP. Estava procurando informações sobre bons restaurantes e almoços executivos e me surpreendi com as que encontrei aqui. Tudo muito bem detalhado e explicado. Adorei o blog. Parabéns!!

  11. alhos Says:

    Eduardo,
    tudo bem?
    Obrigado.
    Boa viagem. Espero que goste de São Paulo e aproveite as comidas daqui.
    Depois, conte o que achou.
    Abraços!

  12. Helena Sokolova Says:

    Li as sugestões deste blog antes de uma breve viagem a São Paulo em julho deste ano e resolvi experimentar alguns dos restaurantes citados. Furada!!! Ficamos, eu e minha companhia, decepcionados. No Dalva e Dito, fomos surpreendidos com a falta de treinamento dos funcionarios. O recepcionista desorganizado e com a cara emburrada só descobriu uma mesa no salão (que estava metade ocupado) quando estavamos prontos para ir embora.O garçom responsável pela nossa mesa estava perdido com o cardápio. Já a comida, embora farta, estava um tanto insossa.O feijão cozido além do ponto, tilápia com gosto fortíssimo e filé sem sal.O que salvou foi o lombo que estava realmente gostoso e muito macio. Conclusão da nossa experiência: muito caro para o que oferece.Sem chance de voltarmos. Teriamos ficado mais felizes se tivessemos ido ao DOM.
    Quanto ao Epice, chegamos as 14:38 de uma quinta-feira e a cozinha já estava fechada, a despeito de o sítio do restaurante informar as 15h como horário de encerramento. Infelizmente nao experimentamos nada lá.
    Espero ter contribuído aos leitores deste blog para que não criem muita expectativa quanto as sugestões indicadas.

  13. alhos Says:

    Helena,
    tudo bem?
    Uma pena, o duplo insucesso.
    Já fui três vezes no almoço executivo do Dalva & Dito e várias no do Epice. Nunca tive tais problemas -exceto pelo serviço do Dalva & Dito, que é mesmo meio complicado.
    Infelizmente, a irregularidade é uma das características mais tristemente notáveis de nossos restaurantes.
    Desejo-lhe melhor sorte na próxima visita a São Paulo.
    Abraços!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: