Archive for the 'ak vila' Category

Para ver a chuva fina

10/01/2013

 

Comer fora — por quê?

 

Calculo que haja dezenas, milhares de respostas.

 

Uns —os pragmáticos— poderiam dizer que comem fora para não ter que preparar a refeição.

 

Outros —os que se creem mais sofisticados— associariam a algum tipo de comportamento elegante. Outros, ainda, responderiam com um rápido ‘badalação’.

 

Mais recentemente surgiram aqueles que buscam novas experiências e que medem a qualidade das refeições em função das surpresas que encontram.

 

Mais ou menos caricaturais, algumas dessas respostas ajudam a compor um cenário em que o mundo das comidas é visto como espaço de celebração e celebridades, em que cozinhar vira performance e pleiteia a condição de arte ou de ciência.

 

Confesso que não gosto de nenhuma das associações, mas as respeito: a glamourização da gastronomia é, afinal, um fenômeno intenso e contemporâneo —fascinante como a chuva ácida ou o superaquecimento global. Além disso, move um incrível mercado de gentes e produtos.

 

Só que, em tempos de excessos e desmedidas, quero dar a minha resposta à pergunta: comer fora, por quê?

 

E é uma resposta prosaica: porque me permite ver a chuva fina lá fora.

 

Explico.

 

Saio do trabalho e entro no AK Vila, almoço de quinta-feira.

 

Do balcão de frutos do mar, em fase de experiência, escolho duas ostras e o ceviche de vieiras. Repito o par de ostras. Vieiras e ostras suculentas, saborosas, intensas. Merecem muitos adjetivos. Deixam, na boca, o gosto de mar.

 

Então peço, do cardápio, as lulas grelhadas com vinagrete morno, abacate e romãs. É uma entrada, que vira meu prato principal porque não quero perder o frescor salgado, nem deixar de sentir o mar que me rodeia.

 

Quero, sobretudo, continuar ali, olhando a rua úmida sob a garoa discreta.

 

Porque, para mim, comer fora se divisa sobretudo com divertimento, com prazer. Com um gesto tão cotidiano e simples quanto profundo e vital.

 

Quem dera, hora dessas, parem de conceituar, problematizar, ostentar, supervalorizar o mundo da gastronomia. Quem dera esqueçam as metáforas do laboratório e do ateliê quando quiserem falar de cozinha.

 

Quem dera descubram o prazer imenso de comer bem e, ao mesmo tempo, vejam a chuva fina, que cai lá fora.

 

 

AK Vila

Rua Fradique Coutinho, 1240, Vila Madalena, São Paulo

tel.  11  3231 4496

Anúncios